Categorias



Outubro Rosa: Conheça histórias de quem já enfrentou o câncer de mama

22/10/2020 - Atualizado por: Andressa - Categoria: Ações em Saúde - Tags: outubro rosa prevenção câncer de mama

O mês de outubro é anualmente marcado pela campanha de prevenção ao câncer de mama.

O câncer de mama é uma doença causada pela multiplicação de células anormais da mama, que formam um tumor. Há vários tipos de câncer de mama. Alguns tipos têm desenvolvimento rápido enquanto outros são mais lentos. 

É o tipo de câncer mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil, depois do câncer de pele não melanoma. 
O câncer de mama responde por cerca de 25% dos casos novos a cada ano. Especificamente no Brasil, esse percentual é um pouco mais elevado e chega a 28,1%.

A campanha Outubro Rosa foca-se nas medidas e cuidados de prevenção que podem ser responsáveis pelo diagnóstico do câncer de mama em seus primeiros estágios, quando as chances de cura aproximam-se dos 95%.
 
Buscando conscientizar os seus segurados, beneficiários e assistidos sobre a auto-observação como importante ferramenta contra câncer de mama e ao mesmo tempo apoiar as que estão enfrentando a doença no momento, o Issem coletou depoimentos de seguradas e familiares que passaram pela doença e que a superaram. 

Nos depoimentos, as seguradas contam como conseguiram se manter fortes, sem se deixar abater pelo medo e pelos efeitos do tratamento, e dão sua mensagem àquelas que estão iniciando o seu enfrentamento à doença.

Confira os depoimentos na galeria:







Abaixo transcrevemos os depoimentos completos das seguradas Solange Medeiros, Daniele Barth Uller e Ivana Pauli:

 
"Em 2009, após consulta e exame de rotina, recebi um diagnóstico de câncer de mama. Não consegui ver uma luz no fim do túnel, mas também não me desesperei, tentei me manter serena, mas confesso que o medo do desconhecido me assustava.
Quando dei a notícia para minha mãe, ela ficou muito abalada, foi neste momento que descobri que teria que ser forte para que ela não desmoronasse de vez. Felizmente recebi apoio do meu marido, filho e de todos os familiares.
Finalmente o tratamento: Cirurgia, quimioterapia (meu cabelo caiu, e meu filho me acalmou dizendo "Mãe, seu cabelo vai crescer de novo", mas eu sabia que meus medos eram outros) e por fim a radioterapia. Depois fiz mais 5 anos de Hormonioterapia.
Prometi para mim mesma que o tratamento não atrasaria um dia sequer, pois faria o possível e o impossível para me manter bem física e psicologicamente. Não foi fácil, tive momentos de altos e baixos, depressão era constante. Comecei então com terapia ocupacional, passei a bordar toalhas em ponto cruz para combater a tristeza. Os dias passaram e o tratamento chegou ao fim. Nesse processo todo fiquei mais seletiva, jogando fora as inutilidades. Foi gratificante saber que outros colegas viam em mim inspiração na luta contra o câncer, que pude ajudá-los relatando as minhas experiências e assim diminuindo um pouco o medo do desconhecido.
Ufa, consegui! Já se passaram 10 anos.
Estou / Sou feliz." 

 
  Solange Mª Araldi Medeiros
 

 
"Descobri o câncer em julho de 2014, aos 31 anos, e você não está preparado para esse diagnóstico. Foi um misto de sentimentos, medo, desespero, choro, angústia, eu perdi o chão. No momento com duas filhas, uma ainda pequena, você se pergunta por que, meu Deus? O que eu fiz de errado? Passado o choque eu tive que tomar uma decisão: ou seguia em frente e encarava esse desafio, ou deixava que
a doença tomasse conta de mim e me levasse embora.
E eu resolvi lutar com todas as minhas forças, fazer daquele desafio o mais leve possível, transformar todo esse momento em aprendizado. O caminho não foi nada fácil, altos e baixos, mas com o apoio e o amor incondicional da minha família,
consegui ter forças para seguir em frente. 
Hoje, depois de 6 anos, estou curada do câncer e entendo o propósito de Deus na minha vida. Passei a dar valor ao que de fato importa, percebi o quanto eu era forte e não sabia, e acima de tudo o quanto eu provei a minha fé.  Mudei sim, mudanças no corpo, na alma, no coração. Cicatrizes que ficaram e que provam que essas marcas de cicatriz só quem é guerreiro possui. É a confirmação de que você venceu a batalha.
Hoje posso dizer que sou uma dessas guerreiras e a mensagem que quero deixar pra quem está iniciando essa batalha é: não desista jamais de você, lute com todas suas forças, tenha fé e foco, se apegue a coisas que de fato te fazem bem, trabalhe sua mente para a positividade e aproveite cada momento de sua vida!
O câncer tem cura!"

 
Daniele Barth Uller  
 
 
"Em março de 2020, recebi o diagnóstico: câncer de mama. Diante dessa doença minha vida se transformou: medo, angústia, tristeza e incerteza de tudo que enfrentaria. 
Fiz a mastectomia e quimioterapia. A doença modificou meu corpo, minha aparência física, perdi meus cabelos. Mas ela não tirou minha fé em Deus, minha alegria de viver e a certeza da cura. Essa doença me ensinou muitas coisas: como ser paciente, aceitar que não temos o controle de tudo, que o nosso tempo é diferente do tempo de Deus, se colocar no lugar do outro, e principalmente gratidão. Sou grata por tudo que tenho, pela minha família, todas as pessoas que fazem parte da minha vida e a todos os profissionais da saúde que acompanham meu tratamento. Aprendi a viver um dia de cada vez e dar mais valor à vida, olhar para mim e me amar como sou."
  Ivana Mª M. de Oliveira Pauli







Instituto de Seguridade dos Servidores Municipais - CNPJ: 00.091.238.0001-70, Rua Max Wilhelm, 255 - Vila Baependi - Jaraguá do Sul - SC
Fone: (47) 3270-3900